Fixação mista em coberturas com TPO Everguard

Fijación mixta
Partilhar:

O cálculo do vento num edifício é algo que é regulado pelo Código Técnico de Construção no seu documento DB SE AE (Documento Básico - Segurança Estrutural - Acções no Edifício). Este documento é o veículo de implementação da norma europeia NP EN 1991-1-4, neste caso em concreto o Eurocódigo 1 - parte 1-4. Este cálculo dar-nos-á as cargas de vento sobre o edifício dependendo da sua localização, proximidade do mar, área envolvente, bem como das dimensões do edifício.

No que respeita ao sistema de cobertura, o cálculo da sucção do vento determinará a fixação da mesma ao suporte utilizado.

No entanto, há que ter em conta outras normativas e guias para a correta realização e instalação do sistema da cobertura. Neste caso é necessário seguir a EAD 030351-00-0402 (antiga ETAG 006) de Sistemas de impermeabilização com lâminas flexíveis fixadas mecanicamente. Este guia aborda diversos temas técnicos, nomeadamente, o da dupla fixação no topo das nervuras quando o suporte resistente é uma chapa deck.

 Dois parafusos no mesmo topo das nervuras que estejam a uma distância igual ou menor de 12 cm serão considerados como um único parafuso.


Isto significa que para efeitos de cálculo, a carga do desenho da fixação será o valor de um único parafuso, apesar de se colocarem dois, devido ao risco de ruptura da lâmina por proximidade das fixações.

Se as dimensões do topo das nervuras permite colocar fixações a distâncias maiores, podem ser utilizados os valores de desenho das fixações, e por conseguinte a dupla fixação no topo das nervuras permitirá estabelecer uma estratégia de implementação de fixações para suportar as cargas de vento calculadas.

Na procura de máxima eficiência na instalação, a lâmina de TPO EverGuard tem uma vantagem significativa dadas as diferentes larguras de rolos disponíveis e as estratégias mistas de fixação da cobertura, tanto em sobreposição como em fixação por indução, o que nos dá a possibilidade de fixar a lâmina de forma homogénea de acordo com a carga do vento.

Esta fixação mista permite-nos utilizar a indução em determinadas áreas da cobertura, principalmente cantos e perímetros, onde a carga do vento é mais elevada, e pode forçar-nos a cortar os rolos de lâmina de forma a aumentar os metros lineares de soldadura a realizar, bem como a implementar um grande número de fixações sobrepostas.

Dependendo da localização e do tipo de edifício, a área interior (não a área central) pode necessitar de cortar novamente a lâmina ou utilizar uma largura muito pequena, com o consequente aumento da quantidade de soldadura a ser realizada.

É por isso que a aplicação nestas áreas, que podem representar uma percentagem muito elevada da superfície da cobertura, são suscetíveis de fixação por indução, onde o número de metros lineares de soldadura e o número de fixações são consideravelmente reduzidos, uma vez que a resistência da fixação é adaptada à carga do vento sem ter de se adaptar à largura do rolo da membrana.

Para a área central interna, uma vez que esta é a área com menor carga de vento, pode ser utilizada a fixação por sobreposição, adaptando-se à largura do rolo que pode ir até 2,44m. Poderá continuar com o rolo de 3,65m de largura e a fixação por indução, que mais uma vez beneficiará na redução dos metros de soldadura e, portanto, dos tempos de instalação.

Se tiver alguma questão ou precisar de ajuda para o cálculo de  fixações, o Gabinete Técnico da BMI, BMI Expert, oferece aconselhamento gratuito para o seu projeto.

Contactar

Também lhe pode interessar

Peça mais informações

Caso tenha alguma questão ou queira deixar o seu comentário, por favor escreva-nos.

Partilhar: