Conheça o nosso gabinete técnico

O nível de conforto e de tranquilidade que proporciona uma cobertura depende, em grande parte, de uma escolha adequada do sistema a instalar e do projeto correto de telhado por parte do arquiteto e das equipas técnicas.

Para facilitar este processo, a BMI coloca à disposição dos seus clientes uma extensa equipa de especialistas, dispostos a dar assessoria e a ajudar todas as equipas técnicas que intervêm na execução de uma cobertura, desde o arquiteto que a desenha até ao diretor de obra responsável pela execução do projeto.
A Equipa BMI Expert é formada por um conjunto de engenheiros e de arquitetos com uma extensa experiência no projeto e na instalação de coberturas planas e inclinadas. Com os seus conhecimentos técnicos, são capazes de solucionar qualquer problema que surja numa cobertura, por mais difícil que possa parecer.

Explique-nos o seu problema e a equipa BMI Expert entrará em contacto consigo para lhe apresentar uma solução.

Contactar com a BMI Expert

Comportamento da cobertura

Guia rápido das prestações básicas da cobertura

Estanqueidade

A função mais evidente que uma cobertura deve cumprir é proteger-nos da chuva e da neve. Para o garantir, é imprescindível instalar membranas ou bandas impermeabilizantes. Também é preciso dedicar atenção aos remates e aos pontos singulares da cobertura, que são especialmente vulneráveis neste aspeto, como é o caso das cumeeiras, dos remates das chaminés e dos acessos.

Isolamento térmico

A função fundamental seguinte é proteger-nos do frio e do calor.
A condutividade térmica é a capacidade de os materiais transmitirem o calor e é representada com a letra lambda (λ). Os materiais transmitem o calor através do movimento das suas moléculas e, dependendo da estrutura do material, este transmite mais ou menos calor. Quanto mais baixa for a sua λ, melhor isolante é o material.
Numa cobertura, tanto plana como inclinada, é fundamental incorporar um isolamento térmico, quer seja de Poliisocianurato (PIR), poliestireno expandido (EPS), etc. Também é decisivo que o isolamento cubra toda a superfície da forma mais contínua e completa possível, para minimizar as pontes térmicas.
As coberturas inclinadas microventiladas contribuem para a regulação higrotérmica do edifício, já que a circulação de ar debaixo das telhas reduz as alterações de temperatura e contribui para eliminar as condensações.
Por outro lado, as coberturas planas ajardinadas também ajudam a regular a temperatura no interior da habitação, dado que a camada vegetal absorve uma parte da temperatura exterior, impedindo a sua transmissão para o interior do edifício.
 

Isolamento acústico

A cobertura também nos isola dos ruídos do exterior, a começar pela própria chuva. Ainda que se recomende sempre a instalação de isolamentos no interior da habitação, alguns isolamentos térmicos que se instalam na cobertura têm ainda uma excelente capacidade de isolamento acústico e são capazes de cumprir com os padrões Passivhaus para os Edifícios com Consumo Energético Quase Nulo - ECCN.
 

Resistência mecânica

Os requerimentos de resistência mecânica podem variar muito em função do uso que se queira dar à cobertura.
Alguns são evidentes: uma cobertura deve ser capaz de resistir ao peso dos seus próprios materiais, para além da neve que se possa acumular sobre eles.
No caso das coberturas planas transitáveis, devem ainda resistir ao peso dos peões e, inclusive, aos dos veículos no caso de se tratar de uma cobertura de estacionamento.

Resistência aos agentes atmosféricos

Vamos concentrar-nos em dois: o vento e as geadas.

Resistência ao vento

Na hora de escolher os materiais para uma cobertura e o seu sistema de fixação, é preciso ter em conta o nível de exposição do lugar em que se vai situar o edifício. Algumas zonas são protegidas, por exemplo as que se situam num vale rodeado de colinas, enquanto outras, como o litoral costeiro ou a montanha, são frequentemente fustigadas pelo vento.
No caso das coberturas inclinadas, é preciso fixar as telhas e as peças com parafusos e outros elementos de fixação, e o número e a posição das telhas a fixar dependem do tipo de telha e da pendente do telhado.
Nas coberturas planas existem diferentes tipos de soluções para as membranas impermeabilizantes, desde as fixações através de bandas adesivas à fixação mecânica, ou também a impermeabilização líquida, que dá lugar a uma superfície contínua.
 
Resistência à geada

Esta é especialmente crítica no caso das telhas, porque ao serem fabricadas com argila ou cimento, ambos materiais porosos, a água entra nesses poros e, ao congelar, aumenta  de volume. Este fenómeno pode debilitar a estrutura das telhas provocando fissuras maiores e até mesmo rupturas.
Por isso, em zonas de geada frequente, é necessário escolher telhas muito pouco porosas, capazes de resistir a muitos ciclos de gelo e degelo, como as telhas cerâmicas Klinker ou as de cimento.
 

Resistência ao fogo

Por último, a cobertura deve estar protegida contra as fagulhas acidentais, raios, etc., pelo que os materiais que a cobrem devem ser à prova de fogo.